Desfazendo o Mito das 100.000 horas do LED!!!

Desfazendo o Mito das 100.000 horas do LED!!!

Escrito por: John Hu (29 de novembro de 2017)

Quando somos questionados sobre quanto tempo pode durar uma tela em LED Digital Full Color, muitos citam as comuns e regulares “100.000 horas.”

Bom, neste artigo, iremos reavaliar esta afirmação e se ela reflete a realidade de forma precisa.

Os materiais de marketing de muitas empresas promovem a durabilidade de “100.000 horas” enquanto negam o fato de que esta é somente uma previsão generalizada, calculada em um laboratório e em um ambiente perfeito, utilizando LEDs topo de linha.

Compreendendo a vida útil

Primeiramente, para entender a vida útil do LED, deve-se compreender o conceito de L50, ou seja, L50 é o ponto no qual o diodo LED se vai degradando naturalmente e gradualmente com uso da operação, gasta assim cerca de 50% da sua luminosidade original. Os outros cinquenta por cento restantes são considerados o “fim da vida” para um diodo LED.

Compreender a degradação

Nem todo o fabrico de chips LED é produzido e criado da mesma forma. Alguns produtores de diodos conceituados irão produzir um relatório de degradação, comumente chamado de “gráfico de dissipação” para os seus produtos, sendo assim alguns diodos possuem uma curva mais elevada de vida do que outros.

Devido ao longo tempo de testes requerido, os fabricantes utilizam os dados de amostra das primeiras 1.000 horas de “queima” para extrapolarem e preverem durações mais longas utilizando um método de aceleração que inclui o aumento da corrente elétrica condutora ou da temperatura ambiente das sala de testes entre outros!

A única empresa conhecida por fornecer dados reais para até 100.000 horas é a Nichia, uma Marca reconhecida mundialmente como a marca líder na fabricação de LED que ficou associada como a vencedora do Prêmio Nobel da Paz em 2014 e, doutrinada pelo “Pai do LED Azul,” o Sr. Dr. Shuji Nakamura.

A própria Nichia não afirma ter os dados de testes de 100.000 horas para todos os seus produtos, visto que novos produtos são lançados a cada ano, sendo muito dificil executar todos esses testes.

Conhecimento de Chips, Embalagens e Diodos

As pessoas frequentemente confundem os termos “chip” com “diodo,” e “embalagens.” Quando alguém se refere ao “Diodo Nichia,” ele ou ela está se referindo, na verdade, à embalagem da Nichia – mas não necessariamente ao chip Nichia.

Enquanto a reivindicação da fama da Nichia se encontra no LED azul, sabe-se bem, por aqueles inseridos na indústria, que eles utilizam o chip Taiwan Epistar para o diodo vermelho.

Explicando:

1) O chip do LED é a pastilha de silício que emite a luz projetada em ângulo,

2) A embalagem é o invólucro que contem o chip LED.

3) Uma máquina de soldagem coloca o chip de LED dentro de um invólucro e, cria um enlace, selando o encapsulamento externo.

4) Esta “embalagem” tem como resultado final o diodo, que é chamada de forma comum de lâmpada normal: ou seja, vidro é a embalagem e o filamento que acende lá dentro é o chip.

Duas embalagens comumente utilizadas

O Led SMD: deu-se um longo caminho até que a tecnologia atual permitisse a resistência à água, o processo de montagem em “surface-mount-device” era usado exclusivamente para as telas em ambiente fechado. O feixe padrão SMD é unidirecional (140° ambos vertical e horizontalmente) e é menos brilhante que os dispositivos com furos passantes DIP (descritos a seguir). As aplicações em ambientes abertos, tais como estádios ou auditórios que pedem por uma ampla visão se adaptam melhor a esta embalagem

Existem
várias dimensões de embalagens ou invólucros, tais como:
SMD3535, SMD2727, SMD2121, SMD1921, SMD1514

THD: O dispositivo de furos passantes, também conhecido
como oval, discreto, de lâmpada e/ou embalagem DIP (Dupla inserção de pontos). A
tecnologia THD existe desde o surgimento dos LEDs. O encapsulamento epóxi
THD é impermeável, direcional (110° horizontalmente/70° verticalmente) e muito
mais brilhante que os SMD. Por isso, o DIP funciona muito bem em ambientes
externos, em aplicações direcionais, tais como placas de trânsito de exterior
digitais.

Tamanhos de embalagens e invólucros: DIP546, DIP346

Conclusão

É preciso ser criterioso ao comparar especificações de LED apenas
“no papel”, uma vez que há diversos equipamentos e produtos no
mercado que podem conduzir ao erro de interpretação.

O “mito das 100.000 horas” desmorona quando um LED é colocado
em uma placa PCB, conduzido por uma corrente geradora de calor, fechado em um gabinete
de metal, e instalado em um ambiente imperfeito ou não climatizado!

Isso acontece especialmente em aplicações de painéis digitais em LED
Full Color, o que requer uma combinação imensa de cores entre os três
componentes de cores  (Red, Green e Blue).
Embora os diodos LED operem por longos períodos de forma continua e com baixa
temperatura a infindável combinação de cores provoca uma acelerada degradação no
LED e cria com o tempo mudanças de cor e manchas visualmente detectáveis.

Na próxima parte desta série de postes explicativos, iremos observar
como a disparidade da degradação entre as três cores influencia e atua na
qualidade da imagem do painel e nas diversas formas de se obter novamente uma
imagem uniformidade e homogênea.

Por favor, curta e compartilhe com a comunidade o que você achou esse texto informativo. Eu agradeço!

Leave a Comment

Subscribe To Our Newsletter

QST INC.
Orlando Service Center
4700 Millenia Blvd #175
Orlando, FL 32839
Office: 321-345-9399
Tech: 321-345-9369

Products

  • Home Theater
  • Projectors
  • Displays
  • Video Walls
  • More Products

Market

  • Broadcast
  • Cinema
  • Corporate
  • Venues
  • Education